O corpo de um alpinista que morreu há 32 anos foi encontrado no Monte Branco, a mais alta montanha dos Alpes, em França. A descoberta aconteceu a 3 de julho por um grupo de alpinistas no glaciar de Talèfre, a 2687 metros de altitude.

De acordo com o jornal «O Globo», Patrice Hyvert desapareceu em março de 1982, com 23 anos. O jovem que treinava para ser guia de montanha, tentava subir sozinho o pico do «Aiguille Verte» (Agulha Verde), de 4122 metros de altitude.

Na altura, as buscas foram suspensas devido às condições meteorológicas adversas e, depois de retomadas, foram incapazes de encontrar sinais do alpinista.

A identificação foi possível graças à carteira que tinha no casaco, da mesma cor que o pai da vítima tinha referido para auxiliar as operações de resgate após o seu desaparecimento.

O pai, Gérard Yvert, não foi autorizado a ver os restos mortais do filho por estarem bastante deteriorados apesar das baixas temperaturas. Gérad afirmou à rádio «RTL» que preferia que não o tivessem encontrado.

«Preferia que ele tivesse lá ficado. Ele estava melhor na montanha do que num caixão», justificou.

Agora, o homem de 80 anos pretende devolver o filho à montanha, espalhando as cinzas de Patrice ao longo do Monte Branco.

De acordo com a imprensa francesa, cerca de 130 pessoas desapareceram no Monte Branco desde 1950. Todos os anos, quando as neves começam a derreter, reaparecem cadáveres que se presumiam perdidos