A Coreia do Sul registou, esta quinta-feira, 14 novos casos de Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS-CoV), um número que inclui o primeiro caso de infeção numa mulher grávida.

Os 14 novos casos diagnosticados elevam para 122 o número de casos confirmados, mantendo-se em nove as vítimas mortais registadas até quarta-feira no país asiático.

Oito dessas 14 pessoas contraíram a infeção no Samsung Medical Centre, em Seul.

O surto da doença está a motivar várias empresas japonesas a restringir viagens para a Coreia do Sul.

Segundo o diário económico Nikkei, muitas companhias estão a optar por cancelar reuniões com clientes ou parceiros sul-coreanos e viagens de negócios à Coreia do Sul.

Por exemplo, o fabricante de sistemas automatizados e eletrónicos Omron pediu aos seus empregados que evitem viajar para a Península sul-coreana e, no caso de a visita ser indispensável, recomenda-lhes o uso de máscaras para evitar o contágio.

Esta quinta-feira o Banco Central da Coreia do Sul baixou as taxas de juros para mínimo histórico de 1,5%, o que os analistas sul-coreanos consideram um esforço para fortalecer a economia e combater os efeitos negativos causados pelo surto de MERS-CoV.