As autoridades sul-coreanas informaram, esta quinta-feira, que o sismo de magnitude 5,4 registado na quarta-feira deixou desalojadas cerca de 1.500 pessoas, naquele que foi o segundo mais forte abalo em décadas, embora sem causar vítimas.

Nenhuma vítima mortal foi reportada desde o abalo que atingiu a região costeira do sudeste ao redor da cidade portuária de Pohang na tarde de quarta-feira (manhã em Lisboa).

O Ministério do Interior e Segurança sul-coreano informou hoje que 1.536 pessoas foram retiradas das suas casas e que 57 pessoas ficaram feridas.

O comunicado do Ministério do Interior refere também que o sismo danificou mais de 1.000 casas e dezenas de outros edifícios e veículos.

Danos foram também registados em instalações militares, pontes, instalações portuárias e instalações de abastecimento de água.

Este foi o segundo sismo mais forte na Coreia do Sul desde que o país começou a monitorizar os abalos sísmicos em 1978.

No ano passado, um sismo de magnitude 5,8 magnitude ocorreu perto de Gyeongju, que também é perto de Pohang. Esse sismo também não provocou mortos.