O Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, instou esta quinta-feira ao fortalecimento das capacidades defensivas do país e assegurou que Seul vai responder com um “duro castigo” às “provocações imprudentes” da Coreia do Norte.

A determinação do nosso Governo em proteger a paz requer capacidades defensivas fortes. Responderemos às provocações imprudentes com um duro castigo”, disse Moon numa cerimónia comemorativa do dia das Forças Armadas.

Durante a celebração, realizada no quartel da segunda frota da Marinha em Pyeongtaek (a 70 quilómetros de Seul), foi exibido armamento estratégico, incluindo projéteis balísticos Hyunmoo-2 e mísseis de cruzeiro Hyunmoo-3.

Apesar de a mensagem de Moon não ser nova, o lugar escolhido para a cerimónia, a exibição de armamento e a insistência na necessidade de reforçar sistemas de ataque preventivo serviram para sublinhar o fortalecimento da postura de Seul perante os contínuos testes de armas por Pyongyang.

Sem uma defesa forte, não podemos nem protegermo-nos, nem conseguir paz", sublinhou Moon Jae-in perante cerca de 3.700 efetivos reunidos em Pyeongtaek, segundo um comunicado e o discurso divulgado pelo gabinete presidencial.

Moon iniciou o seu mandato em maio com uma proposta de diálogo com o regime de Kim Jong-un, que Pyongyang rejeitou, argumentando que Seul devia afastar-se da influência de Washington.

Desde então, a Coreia do Norte lançou dez mísseis balísticos, incluindo os primeiros de alcance intercontinental, e realizou um teste nuclear no passado dia 3 de setembro, o que gerou novos pacotes de sanções da ONU.