A Presidente sul-coreana insistiu, este domingo, que o Japão deve pedir desculpas pelo tratamento infligido às mulheres coreanas que foram usadas como escravas sexuais do exército japonês na II Guerra Mundial. Park Geun-Hye afirmou que «o tempo estava a contar».

De acordo com a AFP, a maior parte dos historiadores estima em 200 mil o número de «mulheres de conforto» que serviram em bordéis do exército imperial durante a guerra, a maior parte coreanas, mas também por chinesas, indonésias, filipinas e mulheres de Taiwan.

A Presidente Park renovou, este domingo, o apelo às autoridades japonesas para resolverem esse problema «por todos os meios».