A Coreia do Sul não irá desenvolver armas nucleares apesar das ameaças de Pyongyang, declarou hoje o Presidente sul-coreano, Moon Jae-In.

“Os esforços das Coreia do Norte para se transformar num Estado nuclear não podem ser aceites ou tolerados”, afirmou.

“Nós não vamos desenvolver ou ter [armas] nucleares”, realçou.

Antes destas declarações, o governo da Coreia do Sul tinha anunciado, a 20 de outubro, que ia avançar com a construção de dois reatores nucleares, depois de uma comissão estatal ter recomendado que o projeto fosse mantido.

A comissão, que emitiu a recomendação estabeleceu que cerca de 60% dos sul-coreanos apoia a conclusão e funcionamento dos reatores 5 e 6 da central de Kori, perto da cidade industrial de Ulsan.

Esta comissão, que entrevistou um painel de 471 cidadãos, disse que mais de metade dos inquiridos queria que a Coreia do Sul continuasse a depender da energia nuclear, que fornece quase um terço da energia.

Na campanha eleitoral, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, tinha prometido cancelar a construção dos dois reatores, mas recuou após chegar ao poder, em maio, perante o grande debate existente em torno das necessidades energéticas da quarta economia da Ásia.