Os Estados Unidos enviaram dois bombardeiros estratégicos B-1B para a península coreana nas vésperas da visita de Donald Trump à Ásia, que terá a crise da Coreia do Norte como um dos principais focos.

Os dois aviões realizaram esta sexta-feira exercícios conjuntos com caças japoneses e sul-coreanos, informaram as Forças Aéreas do Pacífico (PACAF) dos Estados Unidos.

“Os dois B-1B Lancer partiram da Base da Força Aérea de Andersen, em Guam, rumo ao sul da Coreia e ao oeste do Japão para integrar [as manobras] com caças do Koku Jieitai [Força Aérea de Autodefesa do Japão]”, detalham em comunicado.

Entretanto, grupos civis sul-coreanos convocaram para este fim de semana protestos contra a visita do presidente dos Estados Unidos, que vai estar no país asiático na próxima terça e quarta-feira.

Pelo menos mil pessoas vão concentrar-se no distrito de Jongno, no centro da capital, Seul, para mostrar o seu desagrado pela visita de Trump, estando também previstas manifestações idênticas, em simultâneo, noutras cidades como Gwangju, Daejeon, Ulsan e Changwon, segundo detalharam os ativistas, em declarações reproduzidas pela agência de notícias sul-coreana Yonhap.

O presidente dos Estados Unidos vai estar na Coreia do Sul entre os próximos dias 7 e 8 para se reunir com o seu homólogo, Moon Jae-in, e abordar o desenvolvimento do programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, e o acordo bilateral de comércio livre, entre outros.