Um navio sul-coreano disparou nesta sexta-feira tiros de alerta, depois de barcos patrulha da Coreia do Norte terem atravessado a disputada fronteira marítima, pouco antes da chegada do presidente norte-americano, Barack Obama, a Seoul.

Os dois barcos norte-coreanos, que normalmente têm como missão garantir que os pesqueiros permanecem no «lado certo» da fronteira, avançaram uma milha náutica a sul, entrando em águas sul-coreanas, indicou fonte do ministério sul-coreano à AFP.

Face à incursão, levada a cabo esta madrugada, um navio da marinha sul-coreana disparou várias rondas de tiros de advertência e os dois barcos recuaram.

Há tensão em volta da situação na zona, quando a Coreia do Norte parece ter intensificado a atividade nuclear. O Instituto EUA-Coreia da Universidade norte-americana John Hopkins revelou nesta quinta-feira que a Coreia poderá estar a preparar o seu quarto ensaio nuclear, poucas horas antes da chegada de Barack Obama.

Novas imagens de satélite recolhidas há apenas dois dias mostram um movimento mais intenso no centro de testes de Punggye-ri que o instituto relaciona com «eventuais preparativos para a detonação».

O relatório divulgado vem reforçar os alertas de Seul que apontavam para a possibilidade de um teste nuclear da Coreia do Norte durante a visita do Presidente dos Estados Unidos à Coreia do Sul.