A Coreia do Norte realizou, esta segunda-feira, um novo teste militar ao disparar três mísseis balísticos para o mar do Japão, denunciou o exército da Coreia do Sul, um ensaio já criticado por este país e pelos EUA.

A nação liderada por Kim Jong-un disparou três mísseis de médio alcance (Rodongs), que têm um alcance de 1.300 quilómetros (o suficiente para alcançar o Japão). Os mísseis voaram 1.000 quilómetros antes de caírem no mar do Japão, tendo pelo menos um caído na zona de defesa aérea nipónica.

Segundo o The Guardian, que cita o ministro da Defesa do Japão, os mísseis foram lançados sem aviso prévio ao país e serviram como demonstração de força enquanto decorre a cimeira do G20, em Hangzhou, na China.

O disparo de mísseis balísticos é uma violação direta da resolução do Conselho de Segurança da ONU [e foi realizado apenas] para mostrar as capacidades [militares da Coreia do Norte] enquanto decorre a cimeira do G20”.

A Coreia do Sul considera que este é, acima de tudo, um ato de provocaçâo, que pode destabilizar a paz na península.

Estamos completamente preparados para lutar esta noite, se a Coreia do Norte tiver mais atitudes provocatórias”, afirmou um oficial da Coreia do Sul, citado pela agência sulcoreana Yinhaop.

EUA criticam Coreia do Norte

Um oficial da administração dos EUA também já condenou o teste militar do país e prometeu intensificar a pressão internacional para responsabilizar a Coreia do Norte pelas suas ações.

Os testes imprudentes da Coreia do Norte [como os de hoje] são uma ameaça para a aviação civil e para o comércio marítimo. O nosso compromisso para com a defesa dos nossos aliados, à luz destas ameaças, mantém-se inalterado”.