A Coreia do Norte condenou à morte quatro jornalistas sul-coreanos que publicaram uma crítica a um livro tido como insultuoso, segundo a imprensa oficial do país.

De acordo com a agência noticiosa Yonhap News, o Tribunal Central da Coreia do Norte condenou à morte dois jornalistas e os dois chefes dos jornais conservadores sul-coreanos, alegando que desonraram, seriamente, a dignidade da Coreia do Norte.  

Os criminosos não têm o direito de recorrer e a execução será realizada a qualquer momento e em qualquer lugar, sem passar por procedimentos adicionais”, disse um porta-voz do tribunal, segundo a Yonhap News.

O Chosun Ilbo e o Dong-A Ilbo, dois jornais conservadores, divulgaram uma crítica sobre a edição coreana do livro ‘Coreia do Norte Confidencial’, da autoria de dois jornalistas britânicos estabelecidos em Seul, e publicado pela primeira vez em 2015.

A publicação aborda o papel crescente da economia de mercado no dia-a-dia dos norte-coreanos e as séries televisivas da Coreia do Sul que circulam ilegalmente, bem como as roupas e penteados do Sul copiados pela população.

O Ministério da Unificação do governo sul-coreano instou a Coreia do Norte a interromper, imediatamente, a intimidação.

As ameaças da Coreia do Norte, em resposta aos atos comuns de denúncia dos jornalistas, constituem uma grave violação da liberdade de imprensa e uma intervenção nos assuntos do Sul. Isso não ajuda a melhorar os laços inter-coreanos. Advertimos, severamente, que a Coreia do Norte deve acabar com a ameaça aos nossos cidadãos”, disse o porta-voz do ministério citado pela agência de notícias.

O ministério acrescentou que o governo permanece firme na defesa da segurança nacional e na proteção dos sul-coreanos.

O governo tomará as medidas necessárias para garantir a segurança dos nacionais sul-coreanos.”