O Governo chinês disse que o ambiente e a saúde da população não foram afetados pelo ensaio nuclear realizado na sexta-feira pela Coreia do Norte e que os níveis de radiação no país são normais, informou a imprensa oficial.

O Ministério da Proteção do Meio Ambiente chinês lançou na sexta-feira um mecanismo de resposta de emergência para controlar o possível aumento da radiação na fronteira nordeste do país, mas as primeiras análises não revelaram irregularidades.

Pyongyang levou a cabo esta sexta-feira, no dia em que celebrava o 68.º aniversário da sua fundação, o seu quinto teste nuclear – o segundo em apenas oito meses – na base de Punggye-ri, no nordeste do país e a menos de 100 quilómetros da China.

Tóquio e Seul reafirmam cooperação 

Por sua vez, a ministra da Defesa japonesa, Tomomi Inada, e o seu homólogo norte-coreano, Han Min-koo, acordaram estreitar a cooperação para lidar com o programa nuclear norte-coreano.

Durante a conversa telefónica, Inada disse a Han que o novo teste nuclear representa uma “clara violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU” e sublinhou a importância da cooperação bilateral, incluindo o intercâmbio de informação entre ambos os países, informou o Ministério de Defesa do Japão.

A ministra da Defesa nipónica também destacou a importância da coordenação com os Estados Unidos para abordar o assunto.