A Coreia do Norte criticou hoje o primeiro-ministro do Japão por não pedir desculpas, no seu discurso perante o Congresso norte-americano, pelas mulheres coreanas que foram convertidas em escravas sexuais pelo exército nipónico durante a II Guerra Mundial.

O discurso de Shinzo Abe na quarta-feira em Washington foi "um insulto intolerável para as vítimas", afirmou um porta-voz do Ministérios dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, em declarações recolhidas pela agência estatal KCNA.

O primeiro-ministro fez referência ao passado militarista do Japão durante o discurso, mas evitou pediu explicitamente desculpa pelo sistema de escravatura sexual do Exército Imperial, que durante os últimos anos da colonização japonesa da Coreia recrutou milhares de jovens e adolescentes que enviou para bordéis militares.