O Japão qualificou esta terça-feira de “provocação inaceitável” o anúncio por parte da Coreia do Norte de que vai a levar a cabo, dentro de pouco tempo, novos testes nucleares e de mísseis balísticos.

O governo japonês “não pode tolerar” as advertências de Pyongyang que mostram “a sua falta de vontade em renunciar ao desenvolvimento nuclear de mísseis”, assinalou o ministro porta-voz nipónico, Yoshihide Suga, em declarações reproduzidas pela agência Kyodo.

“O Japão vai exigir, de forma firme, à Coreia do Norte que preste atenção às advertências e à reiterada condenação por parte da comunidade internacional relativamente às suas ações”, disse Suga.

 A Coreia do Sul também já reagiu ao anúncio. A presidente do país, Park Geun-Hye, advertiu que a Coreia do Norte expõe-se à “autodestruição” caso não limite as suas ambições nucleares.

“A Coreia do Norte vai marchar no caminho da autodestruição se não mudar”, afirmou a chefe de Estado sul-coreana durante uma reunião governamental.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, anunciou esta segunda-feira a realização de testes com uma ogiva nuclear e com "diferentes tipos" de 'rockets' balísticos "dentro de pouco tempo".

Segundo a agência de notícias norte-coreana KCNA, Kim Jung-un disse que os testes têm como objetivo melhorar a "capacidade de ataque nuclear" da Coreia do Norte.