O desertor norte-coreano que luta pela vida num hospital do Sul, depois de ter sido atingido a tiro quando fugia do país, tem “um número enorme” de parasitas no intestino, que podem comprometer a sua recuperação.

Os médicos sul-coreanos que estão a tratar o jovem militar contam que nunca viram nada assim “em 20 anos de profissão”, segundo, pelo menos, um dos clínicos, em declarações aos jornalistas, nesta sexta-feira.

Lee Cook-jong contou que são vários os parasitas no organismo do soldado, incluindo lombrigas, que, no caso daquele paciente, chegam a medir 27 centímetros de comprimento.

Na segunda-feira, o jovem desertor norte-coreano, do qual foram retiradas seis balas, foi operado de urgência, encontrando-se, desde então, em estado crítico.

Os vermes encontrados no intestino podem complicar o estado de saúde do militar, uma vez que devido ao seu elevado número há o risco de romperem o intestino.

Estes parasitas terão entrado no organismo do paciente através de comida contaminada, uma vez que na Coreia do Norte as fezes são utilizadas como fertilizantes.