A Coreia do Sul e os Estados Unidos da América (EUA) concluíram esta sexta-feira o exercício Key Resolve, uma das manobras militares conjuntas iniciadas em março em território sul-coreano e que contribuíram para elevar a tensão com a vizinha Coreia do Norte.

O exercício, que desde 7 de março mobilizou cerca de sete mil efetivos do Exército dos EUA e cerca de 10 mil soldados da Coreia do Sul, terminou oficialmente esta sexta-feira, confirmou à agência Efe um representante da Defesa de Seul.

O Key Resolve deste ano testou estratégias de combate conjuntas nunca antes ensaiadas e realizou o exercício OPLAN 5015, que simula a inutilização de armas de destruição massiva e a preparação das tropas para um ataque preventivo.

EUA pede à Coreia do Norte que "se contenha" após novo lançamento de míssil

O Departamento de Estado norte-americano pediu esta sexta-feira à Coreia do Norte que “se contenha” e evite ações que possam “aumentar as tensões” após o lançamento de um novo míssil balístico que percorreu 800 quilómetros até cair no mar do Leste, também chamado mar do Japão.

Em comunicado citado pela Efe, o porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby, confirmou que os EUA têm conhecimento das informações sobre este novo lançamento – revelado pelas autoridades da Coreia do Sul – e que está a “observar” a situação na península coreana.

“Pedimos à Coreia do Norte que se contenha e evite ações que possam aumentar as tensões e que se centre em dar passos concretos até ao cumprimento dos seus compromissos e obrigações internacionais”, disse Kirby.