O presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou esta terça-feira reduzir em mais 155 os funcionários diplomáticos dos Estados Unidos que se encontram na Rússia, numa altura em que aumenta a “tensão” entre os dois países.

Vladimir Putin já tinha ordenado em julho a redução de diplomatas norte-americanos a trabalhar na Rússia na sequência de novas sanções económicas dos Estados Unidos.

Como resposta, em julho, o presidente russo afirmou que “755 pessoas deviam abandonar as suas atividades na Rússia” a partir de 1 de setembro.

Ficaram reduzidos a 455 os efetivos do pessoal das embaixadas e consulados norte-americanos e dos consulados em território russo, igualando assim o número de funcionários russos que trabalham nos EUA.

Trump acabou por responder na mesma moeda, decidindo fechar representações diplomáticas russas em território norte-americano.

Ontem, o número dois de Vladimir Putin, Sergei Ryabkov, criticou essas ações de Washington, classificando-as de "hooliganismo estatal". Hoje, o próprio Putin deixou nova ameaça ao Estados Unidos... na mesma moeda.