O Conselho de Segurança da ONU pediu na segunda-feira ao grupo extremista islâmico Talibã que se envolva num novo cessar-fogo no Afeganistão, conforme proposto pelo presidente daquele país, Ashraf Ghani.

O pedido foi aprovado por unanimidade pelos membros do Conselho de Segurança, que solicitam aos talibãs afegãos que aceitem o cessar-fogo "sem demora", uma semana depois de ter sido feita formalizada a proposta por Ashraf Ghani.

Em comunicado, o Conselho de segurança da ONU pede também ao grupo extremista islâmico "que aceite a oferta feita em fevereiro pelo Governo afegão para se envolver em conversações de paz diretas, sem condições prévias ou ameaças de violência, com o objetivo de alcançar um acordo político final que assegure uma paz duradoura para o povo do Afeganistão".

Os membros do Conselho de Segurança também enfatizam a importância de se realizarem eleições parlamentares pacíficas, inclusivas, confiáveis e transparentes a 20 de outubro e uma eleição presidencial a 20 de abril de 2019", pode ler-se na mesma nota, na qual se condena também os recentes ataques no país.

Um cessar-fogo temporário já havia sido declarado e respeitado por ambas as partes em junho, no fim do Ramadão, o primeiro desde 2001 naquele país devastado por 17 anos de guerra.