O Conselho de Segurança da ONU adotou, nesta sexta-feira, uma resolução que autoriza todos os países com capacidade a utilizarem “todas as medidas necessárias” para atuar contra o grupo extremista Estado Islâmico na Síria e no Iraque.

A resolução, aprovada por unanimidade, foi apresentada pela França em resposta aos atentados de Paris, no passado dia 13, que provocaram pelo menos 130 mortos.

O texto propõe “aumentar e coordenar” a luta antiterrorista e manifesta a intenção de reforçar as sanções contra cidadãos e entidades relacionados com o grupo extremista Estado Islâmico.
 

Ataques russos e sírios causam dezenas de mortos e feridos 


Cerca de 40 pessoas morreram na sexta-feira devido aos mais violentos ataques aéreos conjuntos das aviações russa e síria na província de Deir Ezzor, no leste, controlada pelo Estado Islâmico, pelas estimativas do Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

“Pelo menos, 36 pessoas, entre as quais 10 crianças, foram mortas e dezenas de outras ficaram feridas devido aos mais de 70 raides efetuados pelos aparelhos russos e sírios contra várias localidades em Deir Ezzor. Este foi o mais violento bombardeamento nesta região desde a revolta de 2011”, afirmou o diretor daquela organização não-governamental, Rami Abdel Rahmane, à AFP.

As operações militares visaram vários quarteirões da cidade de Deir Ezzor, outras cidades da província homónima, como Mayadine e Boukamal, localidades mais pequenas e três campos petrolíferos, precisou.