Um dos filhos de Mohamed Badia, líder espiritual da Irmandade Muçulmana, morreu hoje na sequência dos ferimentos sofridos durante os distúrbios de sexta-feira no Egito, informou a organização.

Emar Mohamed Badia, 38 anos, engenheiro informático, foi atingido a tiro na cabeça, segundo o site oficial da Irmandade Muçulmana, acrescentando que a vítima participava nas manifestações que se realizaram na sexta-feira perto da mesquita Al Fath, no centro do Cairo.

A Irmandade Muçulmana sublinha que Emar participava nas ¿manifestações pacíficas¿ quando foi atacado pelas ¿milícias¿ do chefe do Exército, Abdel Fatah al Sisi.

LUSA