O ex-chefe do Estado-Maior Sami Anan, antigo «número dois» da Junta Militar que governou o Egito após a queda de Hosni Mubarak, demitiu-se esta segunda-feira do cargo de conselheiro do Presidente Mohamed Morsi, segundo uma fonte militar.

Sami Anan, que foi nomeado assessor presidencial por Morsi no passado mês de agosto, depois de este lhe ordenar que se reformasse, anunciou a sua renúncia invocando «as circunstâncias que o país atravessa», adianta a agência noticiosa Efe.

A saída do antigo militar acontece pouco depois do ultimato de 48 horas que as Forças Armadas deram a Morsi e os partidos políticos para chegarem a um acordo que «responda às exigências do povo».

A renúncia de Anan surge após várias responsáveis políticos terem apresentado demissão nas últimas horas, entre os quais cinco ministros do Governo do primeiro-ministro, Hicham Qandil.

Também o governador da província de Ismaília, Hasan Rifai, apresentou demissão, para ¿preservar o interesse público¿, disse o seu porta-voz, Ahmed al-Yamani.