A tensão no Egito cresce, numa altura em que permanecem barricadas centenas de pessoas numa mesquita.

Algumas dezenas já foram escoltadas para o exterior pelas forças militares.

A Irmandade Muçulmana apelou a mais uma semana de protestos. Na sexta-feira, o «Dia da Raiva», mais de 150 pessoas morreram.