O Governador do estado norte-americano da Carolina do Norte declarou o estado de emergência na quarta-feira após nova noite de distúrbios violentos na cidade de Charlotte, por causa da morte de um afro-americano pela polícia.

“Declarei o estado de emergência e iniciei esforços para destacar a Guarda Nacional e a Patrulha de Autoestradas para assistir a polícia local” em Charlotte, escreveu o governador Pat McCrory na rede social Twitter.

Um manifestante ficou gravemente ferido nos confrontos. Além deste, pelo menos sete polícias e dois manifestantes sofreram ferimentos e foram assistidos por serviços médicos.

O manifestante que foi baleado durante a segunda noite de distúrbios na cidade norte-americana de Charlotte encontra-se em estado crítico, mas não morreu, como foi inicialmente avançado, esclareceu a câmara municipal.

“O civil que sofreu um ferimento por tiro de bala durante os protestos está ligado às máquinas, em estado crítico. Não morreu”, indicou a câmara, através do Twitter.

As autoridades tinham dito anteriormente que havia um morto no tiroteio entre civis e que a polícia não abriu fogo.

A violência voltou à cidade norte-americana de Charlotte na quarta-feira, pela segunda noite consecutiva, com a polícia a entrar em confronto com manifestantes.

A polícia antimotim, munida de capacetes, bastões e armaduras, entrou em confronto com manifestantes e lançou gás lacrimogéneo contra centenas de pessoas que estavam em frente a um hotel no centro da cidade, de acordo com relatos da agência de notícias France Presse (AFP).

Um homem caiu ao chão durante os confrontos, deixando o passeio manchado de sangue. Testemunhas no local disseram que a polícia levou o homem para dentro do hotel.