Depois do ataque a um autocarro em Donetsk, na Ucrânia, na manhã desta quinta-feira, que provocou a morte a pelo menos 13 civis, imagens que têm surgido nas redes sociais mostram que vários soldados ucranianos poderão ter sido feitos prisioneiros dos separatistas pró-russos.
 
Num vídeo publicado no Youtube, um dos alegados reféns é espancado de forma violenta, sob as câmaras dos órgãos de comunicação social.
 
 


Já numa fotografia publicada no Instagram, vários soldados ucranianos, que terão sido feitos reféns, marcham pelas ruas de Donetsk.

 
 

По улицам Донецка ведут поенных киборгов

Фото опубликовано @sashakots



 
Testemunhas afirmam que pelo menos 17 soldados ucranianos terão sido capturados no aeroporto de Donetsk e que o líder dos separatistas pró-russos os terá obrigado a marchar até ao local do ataque para «pedirem desculpa». 

   
 
Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia já reagiu ao incidente e acusou as tropas ucranianas de serem responsáveis pelo bombardeamento. Em comunicado, o ministro fala em «crime contra a humanidade» e considera que se trata de uma «provocação». 
 

«Consideramos este incidente um crime contra a humanidade e uma provocação que tem como objetivo destruir os esforços realizados para encontrar uma solução pacífica para a crise na Ucrãnia.»

 
O incidente acontece numa altura em que decorrem conversações para tentar travar a mais recente escalada de violência no país. 

Esta quinta-feira, os soldados ucranianos abandonaram o aeroporto de Donetsk, após mais uma semana de duros combates com os separatistas pró-russos, reconheceu o batalhão especial de voluntários «Azov», que combate ao lado das forças de Kiev no leste da Ucrânia.