O presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, e o líder rebelde Riek Machar chegaram a um acordo de paz, para colocar ponto final a um conflito sangrento que desde dezembro já matou milhares de pessoas e deixou um milhão de refugiados.

O acordo, alcançado na Etiópia naquele que foi o primeiro encontro presencial entre os dois homens desde o início das hostilidades, prevê um cessar-fogo imediato e a formação de um governo de transição.

Ambas as fações estavam sob forte pressão internacional para pôr fim ao conflito étnico que muitos já classificaram de genocídio.