O Governo brasileiro lamentou este sábado o acidente ocorrido com o voo TM 470 operado pelas Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) que vitimou 33 pessoas nessa sexta-feira, entre eles um luso-brasileiro.

«O Governo brasileiro manifesta suas mais sentidas condolências às famílias das vítimas, ao governo e ao povo moçambicano e às demais nações que tiveram cidadãos vitimados pelo acidente», diz a nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty).

A nota oficial confirmou o nome do luso-brasileiro que estava no avião, Sérgio Miguel Pereira Soveral, um empresário de transportes que residia em Rio Maior e que tinha empresas em Moçambique e Angola.

Ainda segundo o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, o governo está a prestar assistência consular à família da vítima por meio das embaixadas na região.

A aeronave envolvida no acidente, um E190, era de fabricação da empresa brasileira Embraer, que informou ter enviado uma equipa de técnicos para prestar ajuda às autoridades policiais na cena do acidente.

A aeronave, que fazia ligação entre Maputo e Luanda, foi dada como desaparecida na sexta-feira, e seus destroços, completamente carbonizados, foram encontrados hoje no norte da Namíbia, sem sobreviventes.

Faleceram ao todo 33 pessoas, das quais 27 passageiros e seis tripulantes.