«Prenderam-nos e trataram-nos quase como se fossemos criminosos», contou Fabio Perugia ao jornal israelita «Haaretz».

 

«Mais e mais polícias foram chamados. Até que uma dúzia de polícias nos prendeu», acrescentou.

 

O grupo só foi libertado cerca das 06:00. Pacifici descreveu o incidente como «loucura» e «vergonha».