Centenas de americanos, sobreviventes do Holocausto, que foram deportados para campos de concentração pela companhia ferroviária francesa SNCF, durante a ocupação nazi, vão receber uma indemnização de 49 mil euros. O anúncio do fundo de indemnização, que será financiado pelo Governo francês e gerido pelos Estados Unidos, foi feito esta sexta-feira.
 
O Ministro francês dos Negócios Estrangeiros anunciou o acordo, que será assinado segunda-feira, em Washington. No entanto ainda é necessária uma autorização do Parlamento francês, que pode demorar alguns meses a chegar.
 
Além das centenas de sobreviventes, o fundo também vai fornecer dinheiro aos milhares de cônjuges e descendentes dos deportados que morreram no Holocausto.
 
Como parte do acordo, o Governo americano vai desistir dos processos de indemnização instaurados em tribunais americanos contra a SNCF, que está a apostar em contratos para comboios de alta velocidade e outros contratos no mercado americano. Alguns legisladores impediram a SNCF de realizarem esses contratos devido às suas ações durante o Holocausto.
 
O Governo francês já pagou mais de 5 mil milhões de euros em indeminizações, mas apenas a cidadãos franceses e alguns deportados. O novo acordo vai permitir indemnizações aos americanos, israelitas e outros cidadãos que não eram englobados nos programas franceses de indemnização.
 
A SNCF transportou cerca de 76 mil judeus franceses para centros de concentração, mas os especialistas não concordam com o grau de culpa adquirido à empresa ferroviária. A SNCF argumentou que não tinha controlo efetivo das operações durante a ocupação Nazi, de 1940 a 1944.