A cadeia sueca IKEA está a retirar do mercado cerca de 27 milhões de móveis, depois de duas crianças terem morrido após a queda de alguns modelos da marca. Em causa estão as cómodas MALM, que podem tombar se não estiveram devidamente fixadas a uma parede, segundo avança a imprensa norte-americana.

Só no ano passado, duas crianças morreram nos Estados Unidos após a queda destas cómodas. Em fevereiro, um rapaz de dois anos e, mais tarde, em junho, outra de 23 meses. De resto, o grupo sueco sabe que desde 1989 houve pelo menos outras três mortes relacionadas com a queda destes móveis.

A porta-voz norte-americana da marca, que é conhecida pelas peças de mobiliário a preços mais acessíveis, já lamentou as mortes das crianças, mas assegurou que o grupo cumpre todas as normas de segurança, em linha com os padrões exigidos pela Europa.

Entretanto, os consumidores que adquiriam o modelo em causa poderão pedir novos materiais de fixação do modelo e até lá, a marca aconselha os clientes a terem os móveis em locais que as crianças não possam aceder.