O Fundo Monetário Internacional defende que Angola deve aumentar os impostos e eliminar os subsídios aos combustíveis para ajudar a compensar as receitas, dada a queda no preço do petróleo.

«Primeiro, subam os impostos», afirmou o representante permanente do FMI em Angola, Nicholas Staines, citado pela Bloomberg, precisamente em Luanda. E ainda acrescentou:

«Eu adoro realmente impostos. É assim que um Estado funciona. Sem impostos, não há Estado»

O preço do petróleo caiu em mais de metade desde junho, representando um corte da receita de Angola, onde o petróleo representa a quase a totalidade das exportações e mais de dois terços das receitas do Governo.