A empresa de caminhos-de-ferro austríaca (OBB) anunciou esta quinta-feira a suspensão, até ordem contrária, das ligações ferroviárias com a Hungria devido à “congestão em massa” da rede provocada pelo fluxo sem precedentes de migrantes.

O destino preferencial destes migrantes que transitam pela Hungria e pela Áustria é o território alemão. Estas pessoas são maioritariamente oriundas da Síria.

Num comunicado, a operadora estatal pediu para que “voluntários e empresas de autocarros” deixem de conduzir mais migrantes para as estações de comboio que integram a rede ferroviária austríaca.

“O grande afluxo de migrantes mais o grande número de pessoas que aguarda nas estações para prosseguir as suas viagens excedem as capacidades ferroviárias disponíveis”, precisou a empresa.


Apesar das ligações diretas entre Budapeste e Viena terem sido retomadas hoje de manhã, a austríaca OBB decidiu suspender o envio de novos comboios em direção à Hungria, numa tentativa de reduzir o número de passageiros.

Na quarta-feira, os caminhos-de-ferro dinamarqueses DSB também anunciaram a suspensão de todas as ligações ferroviárias com a Alemanha, após dezenas de refugiados terem recusado abandonar, pelo menos, dois comboios, numa passagem por ‘ferry’ perto da fronteira alemã.

Estes migrantes pretendiam prosseguir em direção à Suécia, que tem condições de asilo mais flexíveis.