"Um verdadeiro milagre", é assim que o oficial da Força Aérea da Colômbia responsável pela operação de salvamento de María Nelly Murillo e do seu filho descreve o facto de eles terem sido encontrados vivos e quase ilesos ao fim de cinco dias perdidos no meio da selva.

As equipas de busca conseguiram detetar a mãe e o bebé de um ano na quarta-feira, muito perto do local onde o Cessna 303 se tinha despenhado no sábado, quando fazia a viagem entre Nuqui e Quibdo, no norte do país.

O piloto do aparelho morreu no embate, mas a jovem de 18 anos conseguiu sair. O avião incendiou-se nessa altura, mas María ainda conseguiu voltar a entrar e tirar o seu filho, Yudier. Foi nessa altura que sofreu algumas queimaduras ligeiras.

Mãe e bebé afastaram-se da aeronave, em busca de socorro. Foi por isso que, quando a Força Aérea Colombiana encontrou o Cessna,  há dois dias, os sobreviventes não foram detetados.

Seguiu-se uma operação de busca e salvamento por terra e ar. Durante todo esse tempo, María conseguiu assegurar a sua sobrevivência e a do filho graças à água que foi retirando dos cocos que seguiam a bordo do avião.

Só na quarta-feira, depois de a Força Aérea ter começado a recorrer a altifalantes para indicar a María que devia voltar ao lugar do acidente, é que a o resgate aconteceu. Um helicóptero levou mãe e filho para um hospital, mas nenhum deles tem problemas de saúde sérios.