Duas irmãs, separadas quando uma avalanche lhes destruiu a casa na cidade de Armero, Colombia, estiveram juntas pela primeira vez 30 anos depois da tragédia.

A avalanche foi uma das consequências da erupção do vulcão Nevado del Ruiz, em novembro de 1985, e matou mais de 20.000 pessoas naquela cidade. As irmãs tinham apenas três e nove anos à data.

Depois da tragédia, as autoridades pensaram que os pais das meninas teriam falecido e as irmãs acabaram por ser adotadas por famílias diferentes e nunca souberam do paradeiro uma da outra.

Uma delas, Jaqueline, encontrou um vídeo na Internet em que a irmã mais nova, Lorena, pedia informações sobre os sobreviventes da avalanche. Jaqueline contactou a fundação Armando Armero para responder ao apelo e, mais tarde, os testes de ADN confirmaram que a autora do vídeo era mesmo a sua irmã.

Fiquei nervosa porque, de repente, não sabia se iria ser rejeitada”, confessou Jaqueline.

As duas mulheres, agora com 33 e 39 anos e já com filhos, explicaram que procuraram uma pela outra durante anos.

Foi bonito e triste ao mesmo tempo porque se passaram 30 anos desde a tragédia e só agora descobri o que aconteceu à minha irmã”, contou Lorena. “Por isso, tive que recuperar 30 anos da vida dela e ela da minha”.

Esta foi a primeira vez que a fundação Armando Armero usou testes de ADN para reunir vítimas daquela tragédia.

Até ao momento, a fundação ainda não conseguiu localizar os pais de Jaqueline e Lorena.

Fonte: Reuters