A Nike escolheu Colin Kaepernick, jogador de futebol americano, para ser o rosto da campanha publicitária para celebrar os 30 anos do slogan "Just Do It", mas há muitos americanos revoltados com a opção e a queimar material da marca desportiva.

Kaepernick ficou conhecido por se ajoelhar para ouvir o hino dos Estados Unidos num jogo da NFL 2016, como forma de protesto contra a violência policial sobre a população negra, depois de uma série de casos que aconteceram no país. 

Não vou perfilar de pé e mostrar orgulho por uma bandeira e um país que oprimem os negros. Para mim isto é maior do que o futebol e seria egoísta da minha parte olhar para o lado", disse o jogador aos jornalistas após se ter ajoelhado.

Muitos americanos não gostaram da escolha da Nike e começaram a queimar material da marca desportiva, tendo mesmo sido criado o movimento #JustBurnIt nas redes sociais, e a fazer apelos para não comprarem produtos da empresa.

A Nike descreve o atleta como "um dos mais inspiradores desportistas da nossa geração", no entanto, a campanha não teve o impacto esperado e as ações da empresa estão em queda, 2,17% para perto dos 80,40 dólares.

Apesar das críticas, também há muitas mensagens de apoio e vários desportistas colocaram-se novamente ao lado de Kaepernick, tal como em 2016. O basquetebolista Lebron James foi um deles.