Os líderes europeus chegaram a acordo na definição de uma meta climática: a União Europeia terá de cortar os gases com efeito de estufa em 40 por cento até 2030, em relação aos níveis de 1990.

Nessa altura, a UE também terá de utilizar pelo menos 27 por cento de energias renováveis. 

O compromisso alcançado contempla ainda o objetivo indicativo de aumentar igualmente em pelo menos 27% a eficiência energética e 15% para as interconexões, com vista à criação um verdadeiro mercado de energia na UE, objetivo este que era defendido por Portugal, representado no Conselho Europeu pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.
 
Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia estiveram reunidos em Bruxelas para discutir o pacote energético e climático até ao horizonte de 2030.
 
As informações foram reveladas pelo presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.