Um adolescente canadiano descobriu uma antiga cidade Maia, na selva do Iucatão, sem sair de casa, informou a imprensa local esta terça-feira.

William Gadoury, de 15 anos, comparou, através do seu computador, as imagens de satélite da área de Península mexicana de Yucatan divulgadas pela agência espacial do Canada com as disponibilizadas no serviço de mapas da Google.

Gadoury, que confessa o seu fascínio pela civilização maia, descobriu que a localização de estrelas em diversas constelações correspondia a 117 cidades maias conhecidas.

O adolescente comparou as cidades já conhecidas com 23 constelações diferentes. Quando se aproximava do final do seu estudo, William tinha três estrelas mas só duas cidades conhecidas. A sua pesquisa levou-o a concluir a existência de mais uma antiga cidade Maia.

A correspondência entre constelações e cidades Maias é uma revelação que nunca tinha sido descoberta pelos arqueólogos e outros cientistas que durante séculos estudaram aquela civilização, que se desintegrou antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1492.

William Gadoury encontrou, de acordo com o Montreal Journal, uma pirâmide com cerca de 86 metros de altura e 30 edifícios. O adolescente entrou em contacto com o professor Armand Larocque, da Universidade de New Brunswick, que acredita que o jovem descobriu a quinta maior cidade Maia.

A descoberta foi batizada de “Fire Mouth” (boca de fogo em português) pelo jovem canadiano.