“O secretário-geral lamenta profundamente a continuação da colonização por parte das autoridades israelitas”, afirmou, em comunicado, um porta-voz de Ban Ki-moon.

O chefe da ONU reiterou que os colonatos são “ilegais sob a legislação internacional” e apelou ao governo de Israel para que “pare e anule este tipo de decisões”.