«A necessidade de ajuda humanitária é imediata, precisamos dela agora», disse Baldwin Lonsdale à AFP, quando se preparava para voltar para casa depois de ter participado na III Conferência Mundial das Nações Unidas sobre a Redução de Riscos de Desastres, no Japão.

«A longo prazo precisamos de apoio financeiro, de assistência, para começar a reconstruir as nossas infraestruturas - temos de construir tudo», afirmou.

 As agências internacionais de ajuda humanitária descrevem as condições de Vanuatu como as mais desafiadoras que já enfrentaram, piores do que o cenário encontrado após o tufão devastador nas Filipinas, em 2013, noticia a AFP.

Voos de ajuda humanitária começaram a chegar à capital, Port Vila, depois do arquipélago ter sido fustigada, na sexta-feira, pelo ciclone Pam, com rajadas de vento de até 320 quilómetros por hora.

As equipas no terreno disseram, contudo, que não havia forma de distribuir os mantimentos para as 80 ilhas do arquipélago, advertindo que iria demorar dias até a ajuda chegar às aldeias remotas afetadas pela tempestade.