A Polícia Francesa divulgou um retrato robô de um homem que acredita estar relacionado com o homicídio de quatro pessoas, três membros de uma família britânica e um ciclista francês, em setembro do ano passado.

Os quatro foram mortos a tiro a cinco de setembro de 2012 junto ao lago Annecy, na região de Haute-Savoie, no leste de França, junto à fronteira com a Suíça.

O retrato robô divulgado pela polícia pertence a um homem que foi visto a circular de mota perto do local, segundo relato de testemunhas recolhidos na altura do crime.

A polícia chama atenção para o capacete invulgar do motociclista, que abre de lado e permite que o motard possa conversar sem ter que tirar o capacete. Só existem 8 mil modelos fabricados no mundo, mais ainda assim a polícia não conseguiu encontrar o homem visto no local.

As autoridades explicam ainda que o retrato apenas foi divulgado agora, uma vez que existia o receio de que a divulgação da imagem levasse à fuga do suspeito. Os media franceses avançaram que os homicídios teriam sido cometidos por um assassino profissional contratado.

Recorde-se que duas crianças da família, com origem iraquiana, uma com quatro anos e outra com oito sobreviveram ao tiroteio. A família foi encontrado baleada e sem vida dentro do carro onde viajavam.

O condutor do veículo, encontrado morto ao volante, era um cidadão inglês nascido no Iraque, Saad al-Hilli, que vivia em Surrey, no sul de Inglaterra, enquanto as outras duas vítimas também encontradas no interior da viatura eram mãe e avó.

«Ela [a criança de quatro anos] esteve escondida entre os corpos durante cerca de oito horas [foi encontrada à meia-noite, no chão do carro, entre as pernas das duas mulheres] e não se mexeu durante esse tempo todo», explicou o Procurador de Annecy, Eric Maillaud que, à época, explicou adiantou que a polícia francesa encontrou 15 invólucros de bala no local, disparados por uma arma automática.

O procurador contou, ainda que o alerta foi dado por outro ciclista: «O ciclista, depois de alertar as autoridades, decide contornar o veículo e encontra o ciclista que o tinha ultrapassado há algum tempo e que aparentava estar morto. Vê depois a matrícula inglesa do carro, que estava ligado, partindo o vidro do lado direito para desligar o motor, encontrado três pessoas mortas no interior», descreveu Maillaud.

Uma das principais pistas do crime está na possibilidade de uma herança ter estado na origem do crime do qual o irmão do pai assassinado é o principal suspeito. Em junho de 2013, este irmão foi detido pela polícia inglesa.

Existiam, alegadamente, problemas financeiros entre Aaad al-Hilli e um irmão sobre uma herança que inclui propriedades em França, Suíça, Espanha e Iraque. Fontes ligadas à investigação garantiram à imprensa que o engenheiro assassinado, nascido em Bagdade, era conhecido dos serviços secretos britânicos e já tinha sido alvo de uma operação de vigilância durante a segunda Guerra do Golfo.