A marca de pronto-a-vestir francesa «Le Léon» foi obrigada a retirar a mais recente camisola de uma linha que se evidencia pela inscrição no peito.

O novo modelo trazia a inscrição «desempregado» [«chômeur» no original francês] e essa escolha motivou a indignação de muitos que questionaram a decisão de escolher um tema tão sensível para muitos países como é o desemprego - e nos quais está incluída a França.

A indignação fez-se notar sobretudo nas redes sociais como o Twitter, onde os comentários tiveram classificações entre o «feio» e «a provocação de baixo nível» ou a «simbiose do mau gosto com a incultura», como noticia o «Le Figaro».

«Em virtude da violência das mensagens e das reações, sentimo-nos obrigados a retirar a camisola» de venda, afirmou o dono da marca, Léon Taïeb, ao «francetvinfo» justificando que a intenção desta «ideia forte» era precisamente a contrária da que foi entendida; era sua intenção mostrar que «o desemprego não é uma fatalidade».

A ideia acabou, porém, por ser fatal para o modelo «chômeur», uma das 14 camisolas desta linha de caxemira, a 285 euros cada, onde há modelos com inscrições como «Rockfort», «Frog Killer» ou «Anormal».

O «Le Soir» também tuítou mostrando a camisola em causa quando ainda estava à venda e se promovia como um artigo para «parar de trabalhar durante os dias».