A nova lei anti-tabaco chinesa, que entrou esta segunda-feira em vigor, proíbe que se fume em todos os recintos fechados de Pequim, a capital da China. 

A interdição ao fumo inclui restaurantes, escritórios, transportes públicos, centros comerciais e aeroportos e estende-se a alguns lugares ao ar livre, como escolas, hospitais e estádios.

A nova legislação inclui também a proibição de vender tabaco a menores. 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, mais de 300 milhões de chineses são fumadores e outros 740 milhões serão fumadores passivos. 

As multas para quem não cumprir são de cerca de 29 euros, mas podem chegar aos 1500 euros para os donos de estabelecimentos que violem as normas. 

Para ajudar a cumprir a lei, as autoridades criaram uma linha telefónica especial para receber queixas da população de eventuais violações. 

O objetivo desta nova e restrita lei é travar o agravamento dos custos de saúde na China, o maior consumidor mundial de tabaco e onde todos os anos morrem 1 milhão e 300 mil pessoas devido a cancro nos pulmões.