Vários passageiros de um avião comercial chinês abriram as portas de emergência do aparelho em protesto por um longo atraso e depois de várias discussões com a tripulação, foi anunciado este domingo.

O incidente ocorreu no sábado num voo da companhia China Eastern Airlines que devia ligar a cidade de Kunming, sudoeste, e Pequim na noite de sexta-feira, mas a descolagem foi adiada para a manhã de sábado devido a fortes nevões na região.

Depois de várias horas de atraso e de embarcarem no avião, que se mantinha na placa do aeroporto, uma passageira de idade avançada sentiu-se mal e outros passageiros pediram explicações à tripulação, revelou a China News Service.

Um dos pilotos tentou acalmar os passageiros, mas deu-se inicio a uma discussão e o tripulante terá, alegadamente, gritado e insultado os passageiros, como alguns descreveram em redes sociais.

Finalmente, e perante a insistência do comandante em descolar apenas na manhã de sábado, vários passageiros abriram as portas de emergência quando a aeronave já circulava nos caminhos de acesso à pista desconfiando que a tripulação estivesse em condições para realizar o voo.

Pelo menos 25 passageiros foram depois conduzidos para uma esquadra de polícia e dois deles ficaram em detenção administrativa de 15 dias, explicou a polícia local, enquanto os restantes passageiros seguiram para a capital chinesa num outro voo.

Um porta-voz da companhia negou que um dos pilotos tenha gritado ou insultado os passageiros e garantiu que apenas foram seguidas todas as regras da companhia.

Nos últimos meses são notícia vários casos de passageiros chineses que provocam problemas em aviões como um caso de um passageiro que abriu a porta de emergência antes da descolagem para apanhar ar, ou um grupo de turistas que atirou sobre uma hospedeira um recipiente com comida quente após uma discussão.