Cerca de 530 pessoas, segundo a polícia, manifestaram-se esta sexta-feira em Macau, com reivindicações que incluíam melhores políticas para a habitação e o pedido de sufrágio universal nas eleições para o chefe do Executivo em 2019.

No dia em que se comemora o 14.º aniversário da transição de Macau para a China, as manifestações organizadas por seis associações e grupos de cidadãos partiram de vários pontos da cidade, durante a tarde, e culminaram com a entrega de petições na sede do Governo.

Mensagens como «os corruptos devem ser punidos e os incompetentes devem pedir a demissão» ou «distribuição de casas económicas para todas as pessoas de Macau» liam-se nalguns cartazes de manifestantes, que em vários momentos da marcha pacífica pediram a demissão da secretária para a Administração e Justiça, Florinda Chan, e do secretário para os Transportes e Obras Públicas, Lau Si Io.