Um homem de 29 anos atacou com uma faca três crianças e uma mulher, nas imediações de uma escola em Xangai, a "capital" financeira da China. Dois rapazes acabaram por morrer, informou esta quinta-feira a polícia local.

O suspeito cometeu o ataque às 11:30 da manhã (04:30, em Lisboa) e foi apanhado pela polícia com a ajuda de transeuntes, segundo o comunicado do gabinete de segurança pública do distrito de Xuhui, difundido ‘online'.

Um terceiro rapaz e a mulher sobreviveram e não correm risco de vida.

A polícia revelou que o homem, identificado como Huang, chegou a Xangai no início deste mês e estava desempregado. O ataque terá sido uma forma de "se vingar da sociedade", lê-se na mesma nota.

A lei chinesa proíbe rigorosamente a venda e posse de armas de fogo, pelo que atentados como este são geralmente feitos com facas ou explosivos de fabrico artesanal.

O país tem registado vários incidentes do género, normalmente ligados a pessoas com problemas psicológicos ou com ressentimentos com vizinhos ou com a sociedade no geral.

Em fevereiro passado, um homem matou uma mulher e feriu 123 pessoas num centro comercial em Pequim, num ataque com faca.

No ano passado, um homem explodiu deliberadamente um cilindro de gás à porta de um jardim de infância e causou oito mortos.

Em outubro de 2016, um homem assassinou 16 pessoas, membros de cinco famílias diferentes, numa zona rural da província de Yunnan, no sudoeste do país.