O gigantesco ciberataque ocorreu em Dezembro, foi conhecido das autoridades em Abril e só agora revelado.

Washington, suspeita que a China esteja na origem deste crime informático e ordenou ao FBI para liderar a investigação em coordenação com outras agências. Mas para já, não há certeza se os piratas informáticos agiram por conta própria ou ao serviço do governo chinês.

A Administração Obama revela que os "hackers" venceram os sistemas de segurança dos computadores do OPM, Office for Personal Management, a agência federal de gestão de pessoal que recolhe e trata a informação relativa aos funcionários, antigos funcionários e contratados ao serviço da administração federal.

O governo norte-americano considera ainda mais preocupante a possibilidade  de os "hackers" terem obtido dados sobre agentes secretos e niveis de acesso de altos funcionários a informação sensível, aumentando os riscos de virem a ser alvo de pressões ou chantagem.

Não são por enquanto conhecidos os motivos deste ataque ou o grau em que poderá ter afetado a segurança nacional dos Estados Unidos. Nem o que os "hackers" roubaram exatamente.


A guerra cibernética e a segurança na internet têm marcado a relação dos Estados Unidos e da China. Nos últimos anos, multiplicaram-se os casos de espionagem de lado a lado, não só em matérias relativas à segurança nacional de cada país, como também a espionagem industrial.