Uma vaga de chuva intensa, raramente vista em Pequim, está a limitar a movimentação dos habitantes devido ao corte de vias e ao encerramento dos transportes públicos. A estação meteorológica da capital chinesa aumentou o alerta para laranja, o segundo mais grave numa escala de quatro cores.

As chuvas intensas transformaram, desde terça-feira, estradas em rios, fecharam estações de metro, levaram ao corte de várias linhas ferroviárias e cancelaram, até agora, mais de duas centenas de voos provenientes do Aeroporto Internacional.

Às quatro horas da madrugada registava-se um volume de precipitação de 154.9 milímetros e o máximo foi registado no distrito suburbano de Fangshan, onde o nível de precipitação atingiu os 392.4 milímetros.

De acordo com a empresa responsável pela gestão dos caminhos-de-ferro de Pequim, pelo menos 60 comboios provenientes da cidade foram cancelados e 13 viram-se obrigados a voltar para a estação de partida.

Às oito horas de quarta-feira, 237 voos já tinham sido cancelados, segundo os responsáveis pelo Aeroporto Internacional de Pequim.

Um total de 164 rotas de autocarros foram afetadas pela tempestade e 14 delas foram mesmo suspensas pelas autoridades. O gabinete de controlo de cheias da autarquia de Pequim emitiu um comunicado onde apela às pessoas que limitem a movimentação pela cidade, mesmo que seja por via dos transportes públicos e que regressem às suas casas logo depois de saírem dos empregos.

Temporal no norte da China faz dezenas de vítimas

As chuvas fortes que esta semana atingem o norte da China causaram pelo menos 19 mortos e 72 desaparecidos, informaram, entretanto, as autoridades de várias províncias, através da agência noticiosa oficial Xinhua.

A província de Hebei, vizinha de Pequim, e a mais afetada pelo temporal, revelou hoje que pelo menos 14 pessoas morreram e 72 encontram-se desaparecidas. Também as autoridades de outra cidade, Hebei, emitiram, esta quarta-feira, o nível de alerta vermelho.