O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, vai enviar a sua banda feminina, as Moranbong, para a China para uma série de “concertos de amizade” no Centro Nacional de Pequim, nos dias 12 a 14 deste mês, numa tentativa de reaproximação ao antigo aliado.

Como escreve a agência oficial da Coreia do Norte, KCNA, espera-se que as atuações possam “contribuir para aprofundar a amizade e aumentar as trocas culturais e artísticas entre as populações dos dois países”.

                          

Quem nunca ouviu falar da girl band, ao ver uma atuação do grupo talvez não adivinhasse que estas mulheres são norte-coreanas. Alegadamente escolhidas a dedo pelo líder norte-coreano, usam roupas ousadas – ainda que dentro dos padrões da Coreia do Norte - e dão concertos que lembram os de outras “girls band” sul-coreanas, e até outras de países mais ocidentais.

Basta uma pesquisa no Youtube e encontram-se vídeos de concertos onde as artistas tocam violinos, violoncelos, guitarras, baterias e cantam, tal como tantos outros grupos. A diferença está nos temas que interpretam, a maioria dedicados à Coreia do Norte, ao regime, e a Kim Jong-un. Ainda que também toquem músicas de outros países, lista onde até entra o tema associado à série de filmes "Rocky“.