O papa Francisco encontrou-se, esta terça-feira, com algumas das vítimas de abusos sexuais por padres católicos, no Chile, e pediu desculpa “pelos danos irreparáveis” sofridos.

Segundo o porta-voz do Vaticano, Greg Burke, a reunião aconteceu na embaixada do Vaticano, em Santiago, após o almoço.

"Não estava mais ninguém presente. Só o papa e eles e, dessa forma, conseguiram contar o seu sofrimento. O papa escutou-os, rezou e chorou com eles", afirmou, acrescentando que osanto padre reconheceu também a “dor” dos sacerdotes que foram responsabilizados a nível coletivo pelos crimes de alguns. 

Esta terça-feira, o papa Francisco pediu perdão pelos crimes de pedofilia cometidos por membros da Igreja Católica no país, referindo que sentiu “dor e vergonha” diante do “dano irreparável” causado às crianças vítimas de abuso sexual.

"Aqui não posso deixar de manifestar a dor e a vergonha que sinto perante o dano irreparável causado às crianças por elementos da Igreja”, disse.

As palavras do papa foram recebidas com aplausos por quase 700 pessoas.

"Quero unir meus irmãos no episcopado, pois é justo pedir perdão e apoiar as vítimas com todas as suas forças, ao mesmo tempo devemos nos esforçar para não nos repetir", disse o papa.

A chegada de Francisco reviveu o escândalo dos sacerdotes que abusaram de crianças, tendo a organização Bishop Accountability publicado esta semana uma lista de 80 sacerdotes, clérigos e uma freira acusados de abusos sexuais de menores no país sul-americano.

O papa aterrou na noite de segunda-feira na capital chilena para uma visita ao país, durante a qual se esperam protestos contra os abusos sexuais realizados por padres e demonstrações de ceticismo face à Igreja Católica Romana.

Esta é a primeira visita do papa a esta nação com 17 milhões de habitantes, desde que assumiu o papado, em 2013.

Acontece numa altura em que muitos chilenos estão descontentes com a decisão de Francisco, tomada em 2015, de nomear um bispo próximo do reverendo Fernando Karadima, que o Vaticano considerou culpado, em 2011, de abusar sexualmente de dezenas de menores ao longo de décadas.

Durante os próximos três dias, Francisco tem previsto celebrar missas em Santiago e nas cidades de Temuco, no sul, e Iquique, no norte. Na quinta-feira, o papa parte para o Peru, para uma visita de três dias.