Pablo Neruda, prémio Nobel da Literatura em 1971, viria a morrer dois anos depois, de cancro da próstata. Esta é a versão oficial das causas da morte do poeta chileno e que perdura há mais de 40 anos.
 
No entanto, esta “verdade” está agora posta em causa. O ministro da Administração Interna chileno emitiu, na quinta-feira, um comunicado em que fez saber que a tese de que Neruda morreu de cancro está posta em causa, embora não afirme categoricamente que o poeta tenha sido assassinado. O governo chileno fez esta declaração numa altura em que é lançada uma biografia do poeta chileno que junta esses documentos.
 
A suspeita já tinha avançada pelo jornal espanhol El País em março, que citava um documento da investigação que dizia que Pablo Neruda não teria morrido “em consequência do cancro da próstata de que sofria, mas havia uma “probabilidade forte [de que a sua morte] tivesse resultado da intervenção de terceiros”. Ou seja, uma hipótese clara de que Pablo Neruda tinha sido assassinado a mando de Augusto Pinochet.  


Foto: Reuters

 
Há ainda outro dado importante neste documento. A autópsia terá revelado uma substância estranha no corpo de Neruda, levantando a suspeita do Prémio Nobel ter sido envenenado. Estas são as conclusões principais de um documento que o Programa de Direitos Humanos do Ministério da Administração Interna do Chile enviou ao magistrado Mario Carroza, que conduz a investigação, de acordo com o El País.
 
Pablo Neruda morreu aos 69 anos numa clínica de Santiago do Chile. O poeta foi internado alegadamente por complicações no seu estado de saúde, falhando assim a sua partida para o exílio, no México. Neruda foi declarado morto na noite de 23 de setembro de 1973, seis horas depois de ter sido medicado com uma injeção.
 
As “causas naturais” da morte do poeta sempre levantaram dúvidas na família de Pablo Neruda. Em 2011, o motorista denunciou o assassinato e o Partido Comunista Chileno avançou com o processo. A reabertura do inquérito à morte do poeta levou à exumação do corpo do escritor em 2013, quarenta anos após a sua morte.


Foto: Reuters

 
O juiz aguarda agora pelas conclusões da investigação científica. Era certo que Pablo Neruda sofria de cancro, mas é preciso perceber se a sua morte foi “acelerada”.
 
Pablo Neruda gostava de escrever sobre o amor. Numa passagem de um dos seus poemas pode ler-se que “a palavra é uma asa do silêncio”. Neruda, amigo de Salvador Allende, seria, com certeza, no exílio, uma voz incómoda para a ditadura. Augusto Pinochet é, por isso, suspeito de ter silenciado o escritor.
 
A 11 de setembro de 1973, Augusto Pinochet assumiu o poder no Chile, no decurso de um golpe militar. Nesse dia caiu o presidente democraticamente eleito, Salvador Allende. Allende suicidou-se. O general Pinochet tornou-se ditador. Morreu aos 91, em 2006.