A polícia federal brasileira deteve o traficante de droga José González Valencia, apontado como um dos três líderes do cartel mexicano Jalisco Nova Geração, considerado o mais violento do país.

Valencia, conhecido por Chepa, foi detido numa área residencial da região metropolitana de Fortaleza, capital do estado do Ceará, no nordeste do Brasil.

De acordo com as autoridades brasileiras, Chepa tinha uma identidade falsa, boliviana, com o nome de Jaffet Arias Becerra, e estava de férias com a família.

A prisão foi levada a cabo tendo por base um pedido de extradição do governo norte-americano, país onde Valencia é acusado de tráfico de droga.

Família de traficantes

Chepa é também, desde 2015, chefe de segurança de Nemesio Oseguera Cervantes, "El Mencho", principal chefe do cartel, conhecido também por atacar unidades da polícia em Jalisco, no oeste do México.

Segundo o site brasileiro G1, González Valencia pertence a uma família que tem tradição no tráfico de drogas no México. O patriarca, Armando Valencia Cornelio, "El Maradona", fundou uma organização conhecida como cartel do Milénio, que enviava cocaína e canábis para os Estados Unidos, além de traficar também drogas sintéticas.

Esse cartel foi praticamente extinto durante o governo do ex-presidente Vicente Fox (2000-2006), mas os filhos e irmãos do fundador permaneceram em atividade.

Atualmente, o Jalisco Nova Geração é o segundo maior cartel de tráfico de drogas no México, a seguir à organização Sinaloa.

De acordo com a agência americana de combate a drogas, a DEA, o Jalisco é o cartel com crescimento mais rápido no México e mantém relações comerciais com organizações na Ásia e na Europa.

José González Valência, que agora está preso no Brasil à espera da extradição para os Estados Unidos, é apontado como um dos responsáveis por articular esses acordos.