Pelo menos 15 pessoas morreram na Grécia, após a queda de chuvas torrenciais em três localidades nos arredores de Atenas, fazendo elevar o balanço anterior, que apontava para dez mortos.

Um lençol de água inundou, na quarta-feira de manhã, as três localidades nos arredores da capital, e desde então o número de fatalidades tem vindo a subir.

Ao final da tarde de quarta-feira, os bombeiros contavam 13 mortos, homens e mulheres, a maioria pessoas idosas, e a guarda-costeira deu conta de outros dois mortos.

Algumas vítimas ficaram presas em casa, como foi o caso de dois octogenários que viviam sozinhos, e outras pessoas foram arrastadas pela água quando estavam nos seus veículos.

Os corpos de dois homens foram levados para o mar, onde a polícia portuária os recuperou.

Pelo menos 12 pessoas foram hospitalizadas, segundo a agência de notícias oficial ANA. Uma pessoa está ainda desaparecida.

"Veio como um tsunami", disse à agência AFP Evangélos Kolovetzos, um comerciante cuja loja ficou totalmente destruída, com as janelas e portas partidas.

Após fortes chuvas terem caído durante a noite, a água inundou as localidades de Nea Peramos, Mandra e Megara, a 50 quilómetros de Atenas.

A catástrofe nesta zona dos arredores da capital da Grécia ocorreu um dia após ter sido declarado o estado de emergência na ilha de Simi, no arquipélago do Dodecaneso, devido a graves inundações que deixaram numerosos estragos, mas não causaram vítimas.